Blog da Cidha Cunha

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Palavra cantada "O RATO"

Foi feito com muito carinho pela turminha do 1º ano  a apresentação no festival de cores na EEB Profº Alexandre Sérgio Godinho..amei!














Meus ratinhos lindoooos...ficou show equipe vermelha Parabéns!
´






Atividades:













domingo, 11 de novembro de 2012

Festival de Cores 2012

Festival de Cores escola Alexandre Sergio Godinho- Biguaçu Ensaio da Equipe LARANJA PARABÉNS!

ENSAIO PARA APRESENTAÇÃO - PSY Opa GANGNAM STYLE

Festival de Cores  Alexandre Sergio Godinho
Ensaio da Equipe AZUL





PERFEITO

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Basilica Divino Pai Eterno - Goiais


Cartas para Deus
Após assistirem o filme cartas para Deus, ficou a seguinte tarefa: Fazer  uma carta contando um problema que envolve um parente próximo...ou um vizinho..ou alguém que vc gostaria que Deus olhasse com sua misericórdia! Após o relato na carta, fazer uma oração.colocar em envelope direcionado para Deus!

 Foi com muita fé e emoção que pude ir pessoalmente a Trindade-GO, na Basilica do Divino Pai Eterno depositar as cartas que os crismandos fizeram.. Inexplicável sensação de amor e solidariedade para com o próximo!Divino pai eterno Tem piedade de nós...Amém!

Na basílica Divino Pai eterno em Trindade-GOIÁIS
Um momento de reflexão e muita emoção!




Pai Eterno
Deus Pai – 1ª pessoa da Santíssima Trindade; aquele para quem nada é impossível. O Pai Eterno é amoroso e criou o mundo para manifestar sua bondade, sua glória e beleza.
Jesus Cristo – 2ª pessoa da Santíssima Trindade; o Filho predileto, o ungido e enviado para nos redimir de nossas faltas. O verbo que se encarna para nos salvar das trevas, que nos reconcilia com Deus, modelo de nossa santidade.
Espírito Santo – 3ª pessoa da Trindade; é o Paráclito, o Espírito de Verdade, procede do Pai e do Filho, e com Eles é adorado e glorificado.
Maria – Esposa do Espírito Santo, mãe de Deus porque é a mãe de Jesus. A imaculada conceição, a nova Eva, a mãe de todos os viventes. É a humanidade presente junto ao mistério da Santíssima Trindade.

Você – Você é parte desta Família de Amor. Desde a sua concepção, o Pai Eterno lhe criou para manifestar no mundo a ternura, a inteligência, a beleza: tudo por meio de você e de sua vida. Ele tem um amor eterno por você!



segunda-feira, 8 de outubro de 2012

ANJOS QUE MORDEM ANJOS....precisam de nosso carinho e atenção!!!


Agressividade ou aprendizagem?

O primeiro contato da criança com o mundo é pela boca e morder faz parte disso. Ninguém gosta que seu filho seja mordido. Os pais da “vítima”, às vezes, sentem-se culpados por deixarem seu filho correr num ambiente com tantas crianças. Já os pais do mordedor, quase sempre, ficam envergonhados com o fato. Tanto a família do mordedor quanto a do mordido se sentem preocupados ou agredidas.
O coleguinha de classe não quis dividir o brinquedo? Nhac!
 A mãe está grávida de um irmãozinho? Nhac! 
Ninguém dá a atenção exigida? Nhac!
Mais do que uma reação de raiva, as mordidas dadas pelas crianças pequenas, com até 2 ou 3 anos de idade, são uma forma de comunicação e de expressão de sentimentos. “Nessa primeira etapa da vida, a criança ainda não domina a linguagem. Então, a forma que ela tem para se expressar, para se comunicar e interagir com os outros é pelos meios físicos, como morder, bater, puxar o cabelo”, explica Marilene Proença, membro da diretoria da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (Abrapee) e professora do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.
O fato de as mordidas fazerem parte de uma fase do desenvolvimento das crianças não significa que elas devem ser ignoradas ou aceitas pelos pais. Conheça abaixo um pouco mais sobre essa fase e veja as dicas dos especialistas para saber como lidar quando seu filho é a vítima da mordida ou quando é o autor da dentada em um coleguinha da escola ou mesmo em um adulto.


Mas o que significa a mordida?

O primeiro contato da criança com o mundo é pela boca. Você já reparou em um bebê de quatro meses? Ele leva coisas para a boca. Mãos, pés, todos os objetos ao alcance vão, mais cedo ou mais tarde, para a boca do bebê. Ao colocar um objeto na boca, o bebê está experimentando este objeto. Está aumentando seu conhecimento sobre as coisas que o rodeiam. Começa a experimentar diferenças de peso, textura, tamanho, forma. Enfim, a cada bocada ele conhece um pouco mais o mundo ao redor! A boca é um dos meios mais importantes para o bebê entrar em contato com o mundo. Além de usá-la para conhecer as coisas, o bebê a utiliza para outras formas de contato. Aceitar ou rejeitar alimentos é uma das formas. Chorar também. Quando surgem os dentes, começam as mordidas. Vindo da boca, não podia ser diferente: a mordida também é uma maneira de conhecer o mundo. E é também uma forma de comunicação com ele. Mordendo um objeto, a criança pode perceber muitas coisas. A diferença entre duro e mole, por exemplo. Também pode perceber a novidade que é o susto, o choro ou o espanto da criança mordida. Descobrir que a outra reage à uma grande aventura!
Morder pode ser fascinante. Tão fascinante que a criança pode querer repetir.

Quem será um mordedor?

Em nossa cultura, frequentemente expressamos carinho brincando com os dentes, sobretudo com bebês, fingindo morder.
Essas ações geram “modelos de imitação” para os pequenos. Eles utilizam esses modelos nas brincadeiras com outras crianças. Porém, ainda não sabem quanta força podem colocar na boca e também não sabem avaliar as conseqüências desse comportamento. Isso não quer dizer que seja desaconselhável brincar com a criança usando a boca. Pelo contrário. Desde que respeitadas as particularidades e as sensações da criança, esses momentos podem ser muito afetuosos e de grande intimidade. É preciso apenas ir mostrando que ela pode acabar provocando dor e machucando outras crianças. Sobretudo aquelas que não estão com vontade de entrar na sua brincadeira.
A diferença individual também é importante nesta hora. A partir de experiências com os adultos e os objetos, cada criança vai construindo uma maneira particular de reagir.
Um beliscão, dado com a mesma força pode provocar reações diferentes em diferentes crianças. Um som alto pode não chamar a atenção de algumas, enquanto outras ficam extremamente irritadas. Isso também é válido para o toque, a tolerância à frustração, os sentimentos de ciúme, a busca de atenção ou a procura de exclusividade. Cada criança tem sua maneira de reagir frente aos conhecimentos. Em situações em que se sente contrariada ou nas disputas de objetos, algumas crianças reagem de forma explosiva, mordendo, enquanto outras choram, na expectativa de que o adulto a ajude.
Muito comum é acontecer uma mordida quando uma nova criança entra num grupo de crianças. Pode ser que uma das crianças fique insegura ou com ciúmes da novata. Sem poder compreender direito, sem ter como organizar suas emoções, ela pode descarregar sua ansiedade na forma de mordida. Você já deve imaginar: em geral, o alvo é esta nova criança.
Importante é saber disto:
Seja qual o for o fator que leve à mordida, é preciso muito cuidado para não rotular a criança como “mordedor”. Quando se rotula uma criança, todos passam a esperar que ele volte a ter aquela reação. Mesmo que seja uma expectativa sutil, a criança percebe. Para ela, essa expectativa é marcante, e pode aumentar a ansiedade da criança. Esse aumento da ansiedade pode levá-la a dar novas mordidas. Se a mordida acontecer, reforça-se a idéia de que ela é mordedora. A expectativa aumenta, aumenta a ansiedade e ela morde mais uma vez. Um ciclo sem fim.
Mesmo que a criança não fale direito, alguma coisa da conversa dos adultos ela entende. Ela percebe o clima. Isso também pode acentuar seu comportamento de morder, com motivo ou sem motivo aparente. Por isso, se for preciso conversar sobre o fato, é melhor que não seja na presença da criança.
Na ocorrência de uma mordida, talvez o melhor seja tratar o fato com tranqüilidade. É importante esclarecer, para a criança, a dor que se sente. Importante também é ajudá-la a encontrar outras formas de se comunicar. Mostrar possibilidades de expressar, através da fala e dos gestos, suas emoções. É preciso compreender que esta é uma fase do desenvolvimento da criança. Praticamente todas as crianças, entre um e três anos, em algum momento, usaram ou usarão tal conduta. Esse recurso praticamente desaparece quando a linguagem estiver mais desenvolvida.
Fonte: 
Ana Maria Mello
Telma Vitoria

 O que fazer se o seu filho for mordido por outra criança?

A mordida é sempre uma situação difícil para os pais de ambas as crianças, diz Rosana Ziemniak, coordenadora de Educação Infantil do Colégio Magister, de São Paulo. “Os pais da criança mordedora sentem-se envergonhados e os pais da criança mordida ficam chateados pelo machucado do filho. Cabe à escola mediar as relações entre as crianças e seus familiares para minimizar os sentimentos negativos e criar situações para estabelecer limites, mostrando a importância do respeito e do tratar bem o amigo que ficou triste por ter sido machucado”




REPORTEGEM SOBRE A MORDIDA VIRA CASO DE POLICIA

NÓS PODEMOS EVITAR!

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ANIMAIS FEITOS DE LATINHAS DE REFRIGERANTES



ARTES COM A LATINHA DE REFRIGERANTE AMASSADA


Passo a passo:
Para fazer esse trabalho use uma lata de refrigerante achatada e limpa(Para que fique amassada como a figura,basta você estar protegido de botas ou tênis,e amassar a latinha com o pé).Amasse-a de modo que o meio fique esmagado entre os aros do topo e o fundo da lata.Passe uma camada de tinta acrílica para formar o corpo e criar uma escultura plana de uma animal gordo e molenga (vaca,porco,gato etc...)Use a parte de cima da lata como o rosto e depois decore as partes do corpo,que podem ser feitas de diversos materiais..camurça,eva,papel cartão ou o material de sua preferencia. mãos a obra! 










quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Projeto Romeu e Julieta -Ruth Rocha



Objetivos gerais

§    Promover uma proposta de trabalho diferenciado, permitindo que os alunos desenvolva habilidades nas diversas áreas do conhecimento, como também ajudá-los a refletir sobre si mesmo e a importância de  respeitar o próximo com suas diferenças, proporcionando-lhes ações autônomas com responsabilidade e respeito;
§    Conhecer e respeitar o outro com suas diferenças e/ou limitações, dialogando e trocando conhecimento e experiências;
§    Utilizar a linguagem  com intenções comunicativas e de modo eficaz,
§    Respeitar a opinião/ escolha alheia.
Objetivos específicos

         Língua portuguesa:
§    Utilizar a linguagem com intenções comunicativas e de modo eficaz,
§    Conhecer dados biográficos dos autores William Shakespeare e Ruth Rocha;
§    Conhecer outras versões de Romeu e Julieta;
§    Produzir reescrita;
§    Continuar a Alfabetização pelo processo de letramento
§    Estruturação de palavras, frase e texto;
§    Produzir um final diferente à história de Romeu e Julieta
§    Relatos da narrativa de Romeu e Julieta;
§    Ordenação da história como registro de compreensão ,
§    Conversas, comentários, interpretação e expressão de vivencia por meio de diferentes formas de manifestação ( gestos, desenhos, movimento, sons, etc. 
         Matemática:
§    Construir os fundamentos básicos no desenvolvimento da adição e subtração
§    Construir gráficos, como fonte de registro;
         Ciências:
§   Reconhecer seres vivos;
§   Conhecer o ciclo das borboletas, sua função e seu habitat;
§   Reconhecer os fenômenos da natureza;
§   Reconhecer as estações do ano;
§   Ambiente e meio ambiente;
§   Ciclo da água: “As borboletas bebem água?
§   Pesquisa cientifica sobre as borboletas
§   Apresentar as etapas da vida da borboleta
§   Registrar as etapas em forma de recurso visual e/ou escrito;
§   Conhecer as variedades de borboletas;
§   Saber como as borboletas se alimentam;
§  Degustar o doce Romeu e Julieta *( entregar na hora da saída um doce de Romeu e Julieta aos pais).
        História/Geografia
§    Compreender os diferentes tipos de paisagens
§    Refletir sobre as diversidades;
§    Desenvolver o conceito de valores e atitudes,
§   Paisagem;
§   Tempo;

        Artes:
§    Desenvolver a criatividade;
§   Construir personagens seguindo passos  e etapas da dobradura
§    Usar o desenho como recurso visual e de registro,
§    Desenvolver habilidades com pintura, recorte e colagem;
§  confeccionar painel de mandalas com borboletas
§    Confecção de borboletas com RX; envolvendo as mães;

 Desenvolvimento:                                                                                                        

§    Estimular o conteúdo da leitura por meio da oralidade;
§    Incitar a leitura com momentos descontraídos (cartaz das borboletas)
§    Hora de conhecer a historia de Romeu e Julieta (Ruth Rocha), vídeo narrado pela própria autora;
§    Conversar sobre o texto e estimular a troca das borboletas para outro canteiro;
§    Estimular a compreensão oral da história;
§    Leitura oral, individual e coletiva;
§    Registrar a história com recurso visual (ilustração)
§    Produzir panfleto: se você fosse a mãe da Julieta o que faria para encontrá-la?
§    Registrar finais diferentes à historia de Romeu e Julieta
§    Tomar conhecimento do ciclo das borboletas  por textos informativos(metarmorfose)
§    Ordenar as histórias, ciclo das borboletas e de  Romeu e Julieta;
§    Escrita das cores das borboletas;
§    Cruzadinha;passa tempo,jogo dos sete erros;
§    Resolução de problemas com adição, subtração, multiplicação e divisão;
§    Recorte e colagem de figuras de diferentes paisagens ( zona rural , urbana, floresta, tec);
§    Confecção de painel;
§    Lista de atitudes preconceituosas;
§    Lista de possíveis mudanças de atitudes;
§    Desenvolver a criatividade;
§    Correspondência com numero e quantidade,
§    *Dramatização da história feita pelos alunos. 
   
Avaliação                                                                                                         

Deverá ocorrer de forma contínua, valorizando o desenvolvimento, a participação e o interesse dos alunos observando os avanços e dificuldades dos alunos a cada proposta, de acordo com os objetivos previstos neste planejamento.
História Narrada



Atividades













Veja abaixo!! Essas borboletas são enfeites para a parede, feitas com folhas de Raio-x e papel camurça colados com a cola para EVA... Ficaram lindas!








Modelo de Apresentação: