Blog da Cidha Cunha

sábado, 30 de janeiro de 2010

fotos da reabertura da Ponte Hercilio Luz para solidariedade

Algumas fotos da ponte Hercílio Luz na abertura de solidariedade!Após aproximadamente 20 anos fechada a ponte foi reaberta ao público, hoje na parte da manhã! muito linda..uma sensação maravilhosa.além de colaborar com o pedágio em prol da menina Isabeli, podemos vislubrar a maravilha da ponte!




























Pedágio na Ponte Hercílio Luz (Fpolis)

Vamos ajudar Isabeli!!!
Pedágio da Solidariedade neste sábado, dia 30 /01/2010 a partir das 09hs da manhã na Ponte Hercílio Luz.
Qualquer contribuição, qualquer valor ajudará a Isabeli a fazer o tratamento com células tronco, nossa esperança e luta é para arrecadar o valor que falta para o tratamento.
Venham ajudar a Isabeli!!
Campanha Quero Te Ver!

http://www.clickric.com.br/ric.com/videos_busca_player.asp?estado=sc&id=5719&estado_sel=sc


COMO AJUDAR A ISABELI :
Você pode ajudar a Isabeli depositando qualquer valor nessa conta:

Caixa Econômica Federal
Agência: 0409
Operação: 013
Conta Poupança: 10964-4

Nome da mãe de Isabeli: Ana Paula Nogueira da Silva

Sua ajuda e contribuição é muito importante, qualquer valor ajudará a Isabeli a fazer esse tratamento.
Ajude a tornar realidade esse sonho, doe.

Você também pode entrar em contato através do e-mail,
campanhaquerotever@hotmail.com

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Maior cajueiro do mundo em Piragi(RN)














O maior cajueiro do mundo


Para quem passa por Pirangi (litoral sul-RN),aproximadamente 28km de Nata,l não pode deixar de visitar O Maior Cajueiro do Mundo, segundo o Guiness Book (Livro dos Recordes).

A árvore, que tem mais de 100 anos e ocupa uma área de 8400m2, ainda está em crescimento!

A explicação para esse crescimento horizontal exagerado é simples: uma anomalia genética. O cajueiro já esteve ameaçado de destruição, mas agora é mais um dos vários pontos turísticos do litoral sul.

O acesso se dá pela RN-063 (Rota do Sol), localizado junto à estrada.
Eu estive lá,Vale a pena visitar!



























































quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

CURRAIS NOVOS (RN)






Currais Novos, um lugar maravilhoso ...

Um município brasileiro do estado do Rio Grande do Norte localizado na região do Seridó. Seu nome: Currais Novos
De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2005, sua população é de 41.144 habitantes.
Suas principais atividades econômicas são a agricultura, pecuária, extração mineral.
A cidade de Currais Novos foi colonizada inicialmente por Criadores de Gado, dentre os quais o mais importante foi Cipriano Lopes Galvão, nomeado Coronel do Regimento de Cavalaria da Ribeira do Seridó pelo então governador Pedro de Albuquerque Melo, e agricultores que têm em sua origem cristãos-novos vindos dos Açores e de Portugal.
Cipriano Lopes Galvão veio de Igaraçu- PE com sua esposa Adriana de Holanda e Vasconcelos no ano de 1754 para a região do Totoró. No local, fixou residência e fundou uma fazenda de gado. Quando requereu as terras em 1754, cujo requerimento consta no livro número 5 de Sesmarias do Rio Grande do Norte, já morava no local há anos e tinha seu rebanho bovino com os devidos empregados, chamados de vaqueiros. É certo que sua sesmaria abrangia desde a bifurcação emtre os rios Totoró e Maxinaré até a região do Rio São Bento.
Na época, não existia o município de Acari nem o de Vila do Príncipe (atual Caicó) e toda a região, então denominada Ribeira do seridó, pertencia à Paraíba.
Aproveitando as boas pastagens que o Rio São Bento oferecia, o gado de seu rebanho se deslocava até aí para se alimentar e beber, fato que dificultava o trabalho dos seus empregados. Observando tal dificuldade, resolveu construir currais de pau-a-pique, com troncos de aroeira, nos quais tirava- se o leite das vacas, adestrava- se os bezerros e marcava- se o restante do gado com o método do ferro moldado e aquecido no fogo. Contavam com uma infra- estrutura para a troca e comercialização, bem como para a hospedagem dos parceiros comerciais. A partir destes, casas começaram a ser construídas e vários outros fazendeiros passaram a requerer terras nas circunvizinhanças para aproveitar a proximidade com a emergente feira de gado.

Origem e evolução do nome

Com o crescimento da feira de gado, o Coronel Cipriano resolveu desmembrar o espaço de suas terras, dando- lhe o nome de Fazenda Bela Vista. Após sua morte em 1764, seu filho, o Capitão- Mor Cipriano Lopes Galvão Filho, assumiu os negócios, reformou os currais e investiu cada vez mais no comércio do gado. Bela Vista foi ficando casa vez mais movimentada, já que era ponto de encontro comercial de várias partes do estado. Todos os tropeiros e viajantes marcavam suas reuniões nos "Currais Novos do Capitão", nome pelo qual o crescente povoado passou a ser designado.
A partir de 1813, com a morte do seu dono, mudou- se o nome definitivamente para povoado Currais Novos, nome que persiste até os nossos dias

A CAPELA DE SANT'ANA
No ano de 1777, houve uma grande seca (a famosa "seca dos três setes"). O Capitão- Mor Cipriano Lopes Galvão viu- se muito aflito com a inexistência de água para seu rebanho
Celestino Alves, em Retoques da História de Currais Novos, nos cita: O Capitão fez uma promessa: se Deus fosse servido para que chovesse e enchesse as cacimbas para escapar o gado, ele erigiria uma capela em homenagem à gloriosa Senhora Santa Ana na sua fazenda. Tal promessa foi feita em 26 de julho, dia em que a água acabou totalmente. Na mesma noite , choveu e os rios e cacimbas encheram, formando um novo poço próximo aos currais, ao qual chamou de Poço de Sant'Ana.

Em 1808, a dita promessa foi cumprida com a construção da capela, que teve sua autorização outorgada pelo Bispo de Olinda em 24 de fevereiro de 1808, tendo o lançamento da pedra fundamental ocorrido em 26 de julho do mesmo ano pelo padre Francisco Brito Guerra. A doação de meia légua de terras na ponta da Serra do Catunda está registrada em escritura lavrada em 5 de janeiro de 1808. kihuny

Povoado, distrito e município emancipado
Depois da morte do idealizador da capela em 13 de dezembro de 1813, o Capitão Gonsalo Lopes Galvão ficou na chefia das terras e do povoado. Organizou a construção das casas obedecendo o alinhamento de ruas, construiu a primeira casa paroquial e a primeira escola (só para meninos, como era de costume), além de outras obras de urbanização.

Durante o reinado de Dom Pedro II, a povoação foi instituída Distrito de paz, através da resolução provincial nº 301 de 6 de setembro de 1854.

O Distrito pertenceu ao município de Vila do Príncipe (Caicó) de 31 de julho de 1788 a 11 de abril de 1833, quando passou a pertencer ao município de Acari.

O Múnicípio foi criado em 15 de outubro de 1890 pelo decreto nº 59, do então governador provisório Pedro Velho de Albuquerque Maranhão, com instalação em Sessão Solene realizada no dia 26 de fevereiro de 1891 pelo então presidente da Intendência acariense, O Capitão Cipriano Bezerra de Santa Rosa. Mas a emancipação política só veio ocorrer em 1920, com a elevação do distrito a cidade.

Pontos turisticos:



























































































































sábado, 16 de janeiro de 2010

DICAS PARA AVALIAÇÃO DO BERÇÁRIO


Segue algumas dicas para auxiliar no momento de avaliar cada criança.

















 Obs: O desenvolvimento varia de  criança para  criança, é único e deve ser avaliado individualmente;.

Direitos Humanos onde???

PRESTE ATENÇÃO!
Relato veridico... no meu antigo blog e agora resolvi postar neste.. recordo desta carta que circulou a tempos atrás e que expressa bem como tudo funciona no brasil, vale apenas recordar e até publicar.

muito interessante!


Carta enviada de uma mãe para outra mãe em SP, após noticiário na TV:



DE MÃE PARA MÃE:

Vi seu enérgico protesto diante das câmeras de televisão contra a
transferência do seu filho, menor infrator, das dependências da FEBEM
em São Paulo para outra dependência da FEBEM no interior do Estado.

Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das
dificuldades e das despesas que passou a ter para visitá-lo, bem
como de outros inconvenientes decorrentes daquela transferência.

Vi também toda a cobertura que a mídia deu para o fato, assim como vi
que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação que
você, contam com o apoio de Comissões Pastorais, Órgãos e Entidades de
Defesa de Direitos Humanos, ONGs, etc...

Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender seu protesto.
Quero com ele fazer coro.

Enorme é a distância que me separa do meu filho.

Trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as
despesas que tenho para visitá-lo. Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos
domingos porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no
sustento e educação do resto da família...

Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que desempenha para
mim importante papel de amigo e conselheiro espiritual.

Se você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho
matou estupidamente num assalto a uma vídeo-locadora, onde ele, meu filho,
trabalhava durante o dia para pagar os estudos à noite.

No próximo domingo, quando você estiver abraçando, beijando e fazendo
carícias no seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores
no seu humilde túmulo, num cemitério da periferia de São Paulo...

Ah! Ia me esquecendo: e também ganhando pouco e sustentando a
casa, pode ficar tranqüila, viu, que eu estarei pagando de novo, o
colchão que seu querido filho queimou lá na utima rebelião da Febem.

Nem no cemitério, nem na minha casa, NUNCA apareceu nenhum representante destas
"Entidades" que tanto lhe confortam, para me dar uma palavra de conforto, e talvez
me indicar "Os meus direitos"!

Se concordar, circule este manifesto!

Talvez a gente consiga acabar com esta inversão de valores que assola o Brasil..

Autoria: Romeu Prisco

Romeu_prisco@yahoo.com.br

http://romeu.prisco.zip.net/

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

PLANO DE AULA do berçário ao 1º ano-(seis anos)

Atividades que podem ser trabalhadas no Berçário I,Berçário II,Jardim,Pré e 1º Ano.

Berçário I ( 4 meses a 1 ano e meio)
Objetivo: Transmitir um ambiente acolhedor e seguro, possibilitando ao bebê um pleno desenvolvimento físico, emocional e social.

Conteudos:• Cuidados básicos de higiene e saúde;
• Estimulação tátil, através de carícias e afago ao bebê;
• Estimulação visual, por meio de objetos coloridos, vídeos e livros de bebê;
• Estimulação verbal, por meio de conversas, sons de brinquedos e músicas;
• Estimulação motora básica do bebê, incentivando a criança a buscar um objeto primeiro com as mãos, depois se arrastando ou engatinhando até que ele consiga andar;
• Estimulação do próprio corpo, mostrando e nomeando partes do corpo;
• Introdução de alimentos com alegria e paciência;
• Trocas de roupas e fraldas contínuas, sempre que for necessário;
• Banhos agradáveis, acompanhados de conversas, livros e músicas;
• Músicas gestuais e cantigas de roda;
• Incentivo à fala.

Berçário II (1 ano e meio a 2 anos)

Objetivo: promover o desenvolvimento da coordenação motora grossa da criança, bem como dar ênfase à musicas, à artes e ao desenvolvimento da linguagem, por meio de estórias, rodas e conversas.

Conteúdos:
• Brincadeiras com brinquedos do tipo encaixe e monta-monta;
• Estimulação do próprio corpo;
• Trabalhos manuais com massinhas e argila;
• Garatujas: pintura com lápis de cor, giz de cera e tinta;
• Incentivo ao uso do banheiro/ penico (controle de esfíncteres);
• Incentivo ao uso de escova de dentes;
• Incentivo a alimentar-se sozinho;
• Integração social, por brincadeiras e jogos que estimulam a criança trocar objetos;
• Incentivo e desenvolvimento da fala, procurando ampliar o vocabulário;
• Traçados simples: coordenação motora;
• Apresentação das cores;
• Contos de histórias curtas;
• Atividades de músicas e cantigas de rodas;
• Brincadeiras de imitação;
• Brincadeiras livres no parque;
• Imposição de limites e boas maneiras, dizendo “não” à criança, toda vez que colocar a si próprio e/ou ao outro em perigo.

Maternal (2 anos e meio a 3 anos)Objetivo: Ampliar o desenvolvimento da coordenação motora fina, introduzir conceitos disciplinares.

Conteúdos:
1 – Coordenação motora ampla;
2 – Coordenação motora fina;
3 – Discriminação auditiva e visual;
4 – Expressão oral (historias, músicas, contos, teatro, etc);
5 – Estudo do nome próprio;
6 – Apresentação das vogais;
7 – Reconhecimento, discriminação e contagem dos numerais de 1 até 10;
8 – Reproduzir seqüências e seriações;
9 – Desenvolver a capacidade de situar cronologicamente os fatos para organizar seu tempo e suas ações, orientando-se também no espaço;
10 – Desenvolver a lateralidade;
11 – Introduzir o raciocínio lógico e suas estruturas;
12 – Estimular o conhecimento da história brasileira, por meio das datas comemorativas;
13 – Desenvolvimento da socialização;
14 – Desenvolver noção de hoje, ontem, amanhã, bem como dia e noite;
15 – Identificar, nomear e reconhecer a família e sua importância;
16 – Estimulação do meio ambiente;
17 – Desenvolver a capacidade de auto-higiene corporal, localizando e nomeando as partes do corpo;
18 – Estimulação dos 5 sentidos;
19 – Desenhos livres.


Jardim (4  anos)
Objetivo: Desenvolver habilidades para uma futura alfabetização, assim como o fortalecimento da auto-estima e o gosto pelo aprendizado.

Conteúdos:
1 – Coordenação viso-motora;
2 – Percepção visual;
3 – Estudo do alfabeto partindo do nome próprio;
4 – Orientação temporal/espacial;
5 – Números e quantidades de 0 à 20;
6 – Estruturas lógicas;
7 – Formas Geométricas;
8 – Medidas;
9 – Eu, família, casa
10 – Escola;
11 – Meios de transporte/ trânsito;
12 – Meios de comunicação;
13 – Profissões;
14 – Estimular o conhecimento da história brasileira, através das datas comemorativas;
15 – Estimulação dos 5 sentidos, desenvolvendo a capacidade da auto-higiene e identificação e nomeação das partes do corpo;
16 – Importância dos seres vivos;
17 – Natureza e horticultura;
18 – Estimulação de desenhos livres, artes,trabalhos com sucatas com o objetivo de desenvolver a criatividade e auto-confiança.


Pré (5 anos)
Objetivo: Desenvolver o raciocínio lógico e iniciar o processo de alfabetização da criança através do estudo do alfabeto.

Conteúdos:
1 – Ampliar a coordenação viso-motora, na busca do desenvolvimento da escrita;
2 – Estudo do alfabeto na formação da palavra;
3 – Desenvolvimento da leitura;
4 – Estruturas lógicas;
5 – Numerais de 0 à 50;
6 – Desenvolver raciocínio lógico – matemático introduzindo a noção de adição;
7 – Animais e plantas;
8 – Partes do corpo / higiene e saúde / órgãos do sentido;
9 – Eu, família, casa
10 – Escola;
11 – Meios de transporte/ trânsito;
12 – Meios de comunicação;
13 – Profissões;
14 – Estimular o conhecimento da história brasileira, através das datas comemorativas;
15 – Desenvolvimento da criatividade, através de atividades de pintura, desenho e música.


1º ano - 6 anos
Objetivo: Amadurecer o processo de alfabetização, incentivando a aquisição da leitura e da escrita da criança.

Conteúdos:
1 – Desenvolver coordenação viso-motora cursiva;
2 – Formação de palavras;
3 – Formação de frases;
4 – Desenvolvimento da leitura;
5 – Estruturas lógicas;
6 – Numerais de 0 a 50;
7 – Desenvolver raciocínio lógico – matemático introduzindo a noção de adição e subtração;
8 – Animais e plantas;
9 – Partes do corpo / higiene e saúde / órgãos do sentido;
10 – Eu, família, casa
11 – Escola;
12 – Meios de transporte/ trânsito;
13 – Meios de comunicação;
14 – Profissões;
15 – Estimular o conhecimento da história brasileira, através das datas comemorativas;


Espero que possam servir de uma ajudinha pra o seu planejamento.
OK! Tenha uma excelente aula!

EXEMPLOS DE AVALIAÇÃO DESCRITIVA:

DEZ EXEMPLOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º TRIMESTRE

 1.O aluno está bem adaptado à rotina do berçário. Está habituado aos horários de soninho e alimentação. É um pouco resistente na hora do almoço e nessa hora pede bolacha. Demonstra muito interesse por música e gosta de dançar. Está sempre observando a movimentação em sala de aula, gosta de livros e nas aulas de estimulação está sempre bem disposto. Já arrisca ficar de pé, mas para andar se apoia nas barras ou com um pouco de auxílio da professora, estamos tendo muito progresso.

***

2.O aluno adaptou-se com tranqüilidade ao nosso berçário. Desenvolvemos um laço de carinho e confiança. É um menino carinhoso e gosta de chamar a atenção. Conhece a rotina do berçário e sabe os momentos de soninho e alimentação. Adora brincar no parque e de faz de conta e está sempre sorrindo! É um menino muito querido.

***

3.O aluno adaptou-se muito bem, integrando-se à turma. Conhece e respeita os horários de refeição e soninho. É uma criança tranquila é atento em sala de aula. Relaciona-se bem com os colegas e professores (busca afeto e carinho), gosta de dançar e está sempre animado e sorridente. Desenvolvemos uma relação de carinho e confiança.

***

4.A aluna adaptou-se bem à turma. É uma criança tranquila e querida, relaciona-se bem com os colegas e professores (temos um vínculo afetivo de carinho e segurança), é um pouco tímida, mas gosta se exibir dançando sempre que os avós chegam para buscá-la. Ao explicar algo a ela, sempre acata e não se esquece de nossos combinados.

***

5.A aluna é uma menina muito sorridente, meiga e carinhosa. Está sempre fazendo carinhas para chamar a atenção das professoras. Gosta de dançar e está sempre chamando a atenção para si. Gosta que festejem suas brincadeiras, ficando bastante alegre. Está se empenhando muito para aprender a andar. Temos uma relação de confiança e carinho.

***

6.A aluna é uma criança que busca carinho e atenção. Sua adaptação foi tranquila. Quando chega, vai logo brincar, mas gosta de ficar sozinha. Às vezes, fica próximo dos colegas. Está aprendendo a dividir a atenção que recebe com os demais colegas.

***

6.A aluna adaptou-se com tranqüilidade ao berçário. Demonstrou choro nos primeiros dias, mas logo integrou-se à turma. Desenvolvemos uma relação de afeto e confiança. Ela está adaptada à rotina da sala, participa das atividades e sabe expressar suas vontades e necessidades.

***

7.A aluna é uma criança que demonstra muita segurança e está bem adaptada à rotina do berçário. Tem uma relação tranquila com os colegas, consegue se comunicar para expressar suas vontades e necessidades. Temos um vínculo afetivo de carinho e segurança.

***

8.A aluna foi uma grande aliada durante a adaptação dos colegas, sempre receptiva e alegre fazendo festa para cada aluno que chegava. Sempre buscando carinho e afeto reforçando nossa relação confiança e segurança.


***



9.A aluna é uma criança muito carinhosa. Aprende fácil e demonstra interesse em tudo que lhe é apresentado. Já consegue se expressar com algumas palavras as suas vontades e necessidades. Temos um relação de afeto e confiança.

***
10. A aluna ainda está em processo de  adaptação por faltar muito.Demostra sentimento de ciumes em relação a professora e insegurança.consegue brincar se estiver ao lado da professora.



CLIQUE NA IMAGEM PARA OBTER DICAS






Pai Nosso ilustrado..muito lindo!

A oração é a respiração da alma, a ligação íntima com o seu Criador e Salvador...