Blog da Cidha Cunha

sábado, 24 de agosto de 2013

"Semana da Pátria" ...atividades variadas.

Semana da Pátria .... Atividades e Lembrancinhas
Projeto Semana da Pátria

As mãos.....simbolizando nossa união para um pais melhor!







"Dia da Árvore" Atividades e lembrancinhas.

Vamos comemorar o dia da arvore com muita diversão !




Colorir  e enfeitar









Modelo para apresentação...muito fofo!encontrei nesse mundo virtual!





Atividades e lembrancinhas para a chegada da primavera.

A Primavera...















Fofos!



quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Fazendo Artes,Criatividade geral!

Encontrei algumas atividades e trabalhos para aulas de artes...
A maioria eu já fiz nas minhas aulas de artes da turma da noite...muito legal e a aula fica mais gostosa..além de criativas são fáceis de fazer e claro relaxante,pois você fica concentrado ..e esquece os problemas do dia a dia.
Obs: desconheço os criativos desses materiais,se alguém reconhecer..me avise que darei os merecidos créditos.
Uma obra de arte...linda para fazer um quadro e decorar ambientes.




A turma da recreação vai fazer..mostrei a foto e já estão guardando as sobras de lápis. 

Para enfeitar caixas e presentear os professores das outras turmas.

Na turminha da terceira idade já estão começando a fazer...elas se divertem!

Pretendo fazer essa para o carnaval!


Bem gostosa de fazer..a turma da noite adorou


Fiz várias para o dia da árvore...as crianças amaram!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Se você errou....


"Se você errou”
  
Se você errou, peça desculpas...É difícil perdoar?
Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo diga...É difícil se abrir?
      Mas quem disse que é fácil encontrar alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça...É difícil ouvir certas coisas?
Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...É difícil entregar-se?
Mas quem disse que é fácil ser feliz?

Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível..."


Há  pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam
Mas há pessoas que  simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre
(Cecília Meireles)

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Trabalhando com as fases de aquisição da escrita...Sugestões!

Com sondagem das fases de aquisição da escrita dos seus alunos, você pode desenvolver uma série de atividades que auxiliam no confronto e avanços das hipóteses de escrita dos alunos.

Aqui estão algumas sugestões:


ESCRITA PRE-SILÁBICA
• Iniciar pelos nomes dos alfabetizandos escritos em crachás, listados no quadro e/ou em cartazes.
• Trabalhar com textos conhecidos de memória, para ajudar na conservação da escrita.
• Identificar o próprio nome e depois o de cada colega, percebendo que nomes maiores podem pertencer às crianças menores e vice-versa;
• Organizar os nomes em ordem alfabética, ou em “galerias” ilustradas com retratos ou desenhos;
• Criar jogos com os nomes: “lá vai a barquinha”, dominó, memória, boliche, bingo;
• Fazer contagem das letras e confronto dos nomes;
• Confeccionar gráficos de colunas com os nomes seriados em ordem de tamanho (número de letras).Fazer estas mesmas atividades utilizando palavras do universo dos alfabetizandos: rótulos de produtos conhecidos ou recortes de revistas (propagandas, títulos,palavras conhecidas).
• Classificar os nomes pelo som ou letra inicial, pelo número de letras, registrando-as;

ESCRITA SILÁBICA
• Fazer listas e ditados variados (dos alfabetizandos ausentes e/ou presentes, de livros de histórias, de ingredientes para uma receita, nomes de animais, questões para um projeto).
• Trabalhar com textos conhecidos de memória, para ajudar na conservação da escrita
• Ditado de palavras do texto. 
• Análise oral e escrita do número de sílaba, sílaba inicial e final das palavras do texto.
• Lista de palavras com a mesma silaba final ou inicial;
• Escrever palavras dado a letra inicial;
• Ligar desenho a primeira letra da palavra;
• Usar jogos e brincadeiras (forca, cruzadinhas, caça-palavras);
• Organizar supermercados e feiras; fazer “dicionário” ilustrado com as palavras aprendidas,diário da turma, relatórios de atividades ou projetos com ilustrações e legendas;
• Propor atividades em dupla (um dita e outro escreve), para reescrita de notícias, histórias,pesquisas, canções, parlendas e trava-línguas.
• Produção de textos, ditados, listas.

ESCRITA SILÁBICA-ALFABÉTICA
• Ordenar frases do texto;
• Completar frases, palavras, sílabas e letras das palavras dotexto;
• Dividir palavras em sílabas;
• Formar palavras a partir de sílabas;
• Ligar palavras ao número de sílabas;
• Produção de textos, ditados, listas.

ESCRITA ALFABÉTICA
• Investir em conversas e debates diários.
• Possibilitar o uso de estratégias de leitura, além da decodificação
• Considerar o “erro” como construtivo e parte do processo de aprendizagem
• Produção coletiva de diversos tipos de textos.
• Análise lingüística das palavras
• Reescrita de texto(individual / coletiva)
• Revisão de texto.
• Atividades de escrita: complete, forca, enigma, stop, cruzadinha, lacunado, caça-palavra.
• Copiar palavras inteiras;
• Contar número de letra ou palavra de uma frase;
• Pintar intervalos entre as palavras;
• Completar letras que faltam de uma palavra;
• Ligar palavras ao número de letras e a letra inicial;
• Circular ou marcar letra inicial ou final;
• Circular ou marcar letras iguais ao seu nome ou palavra-chave.
• Produção de textos, ditados, listas.

As hipóteses (fases) da escrita da criança segundo Emília Ferreiro são:




• Nível 1: Hipótese Pré-Silábica
A criança:
- não estabelece vinculo entre fala e escrita;
- demonstra intenção de escrever através de traçado linear com formas diferentes;
- usa letras do próprio nome ou letras e números d\na mesma palavra;
- caracteriza uma palavra como letra inicial;
- tem leitura global, individual e instável do que escreve: só ela sabe o que quis escrever;

• Nível 2: Intermediário I
A criança:
- começa a ter consciência de que existe alguma relação entre pronuncia e a escrita;
- começa a desvincular a escrita das imagens e os números das letras;
- conserva as hipóteses da quantidade mínima e da variedade de caracteres.

• Nível 3: Hipótese Silábica
A criança:
- já supõe que a escrita representa a fala;
- tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras;
- já supõe que a menor unidade de língua seja a sílaba;
- em frases, pode escrever uma letra para cada palavra.

• Nível 4: Hipótese Silábico-Alfabética ou Intermediário II
A criança:
- inicia a superação da hipótese silábica;
- compreende que a escrita representa o som da fala;
- passa a fazer uma leitura termo a termo; (não global)
- consegue combinar vogais e consoantes numa mesma palavra, numa tentativa de combinar sons, sem tornar, ainda, sua escrita socializável. Por exemplo, CAL para cavalo.

• Nível 5: Hipótese alfabética
A criança:
- compreende que a escrita tem função social;
- compreende o modo de construção do código da escrita;
- omite letras quando mistura as hipóteses alfabética e silábica;
- não tem problemas de escrita no que se refere a conceito;
- não e ortográfica e nem léxica.


Não existe o nível ortográfico. Dizemos que a criança está alfabética, mas possui dificuldades em grafar as palavras corretamente. 


As atividades podem ser: cruzadinhas, agrupamentos de palavras pela dificuldade ortográfica, jogos, uso do dicionário etc.
    Boa semaninha!!!♥

sábado, 3 de agosto de 2013

Lembrancinhas para o Dia Dos Pais

Gostei dessas lembrancinhas que  encontrei aqui na net...não sei de quem são os créditos se alguém souber fique a vontade para postar aqui! bjs


D+ !

Pode colar botões de verdade

em papel cartão é melhor q E.V.A

Adorei essa..vou fazer para a turma da recreação



Outra mais fácil de fazer...pode usar as tonalidades do seu time preferido!



Abaixo o link da homenagem para os pais...linda!

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

FIM DA APROVAÇÃO AUTOMÁTICA...SERÁ?


A partir deste semestre estudantes do ensino fundamental de escolas estaduais de Santa Catarina — que vinham desde 2007 sendo aprovados automaticamente — poderão ser reprovados. A mudança veio com a criação de uma nova portaria, que derrubou a que proibia a retenção de alunos mesmo que tivessem um boletim cheio de notas vermelhas.

Portanto, o aluno  que não apresentar  frequência mínima de 75% e tiver médias finais abaixo de 7 será reprovado. Até então, os cerca de 66 mil alunos atingidos pela migração do ensino fundamental de oito para nove anos, que passou a valer em 2007 no Estado, não eram retidos nas séries. Neste ano, estes estudantes estão na 8
a série.

Para eles, a Secretaria de Estado de Educação criou um programa de recuperação de estudos a partir deste segundo semestre.o objetivo deste programa é fazer com que, aqueles que tiveram nota abaixo de 5 em português e matemática no primeiro trimestre (ou bimestre) terão aulas duas vezes por semana no contraturno com quatro horas de duração cada. São 12,5 mil alunos — 18,9% do total — nessa situação e foram formadas 560 turmas.

A diretora de educação básica do Estado, Marilene da Silva Pacheco, diz que os professores de recuperação precisarão trabalhar em conjunto com os titulares das aulas regulares e mesmo de áreas diferentes de português e matemática, ainda que o foco da recuperação seja escrita, leitura e cálculos. Eles estão contratados e tiveram um treinamento no recesso escolar de julho.

Reprovar significará dois anos a mais...

Se mesmo depois de passar por essas aulas o aluno não alcançar média, ele poderá ser reprovado. Antes ainda terá a oportunidade de fazer a recuperação de final de ano e a prova final. Para o estudante que não conseguir passar, serão dois anos de atraso no ensino fundamental. Isso porque, à medida que o novo modelo foi sendo adotado, o antigo foi sendo extinto. Como estão na 8
a série do modelo de oito anos, cairão em 2014 no 8o ano do novo sistema e depois terão que finalizar o 9o ano em 2015, deixando o ingresso ao ensino médio para 2016.


— Estamos seguindo a legislação (a resolução 158 do Conselho Estadual de Educação), estamos oferecendo oportunidade para o aluno. O objetivo maior é que ele seja aprovado — ressalta a diretora de educação básica do Estado. Marilene que garante que todos esses aspectosjá vinham sendo discutidos, mas na análise da Secretaria de Estado de Educação esta foi a melhor decisão.

O secretário de Educação, Eduardo Deschamps, acrescenta que criar esta nova portaria não significa adotar uma política de reprovação. A medida vem para tentar garantir que o aluno termine o ano com o aprendizado adequado.



                                           
Alunos do Ensino Médio também terão reforço...

A mesma portaria que instituiu as aulas de recuperação para alunos de 8a série também irá oferecer aulas de reforço para estudantes do 1º ano do ensino médio. São alunos que em 2012 passaram pela chamada correção de fluxo, já que deveriam estar no ensino médio mas faziam o fundamental. 

Foram formadas 144 turmas para 3,2 mil estudantes nesta situação. Eles também terão aulas no contraturno. Além de matemática e português, terão ciências da natureza, que abrange física, química e biologia.
 

A diretora de educação básica do Estado, Marilene da Silva Pacheco, explica que ao todo 5 mil alunos passaram pela correção de fluxo, mas cerca de 1,8 mil estudam à noite e não teriam condições de ir a aulas no contraturno.

FONTE: Jornal Hora SC